Políticas Educacionais:
O Projeto Neoliberal
em Debate


Michel Justamand / Lilian Maria Grisolio

14x21cm
48 páginas

R$ 22,00

ISBN 978-85-98175-18-5

Compre seu livro sem sair de casa - clique aqui

Neste livro partimos de uma premissa: todos os temas devem ser amplamente analisados e debatidos. Não há nenhuma idéia que deva ser aceita como verdade absoluta. Sempre é preciso que haja um exame
dos diferentes pontos de vista possíveis. Essa é a proposta desta obra: debater e analisar as políticas públicas educacionais sob uma nova perspectiva crítica. Ao invés de simplesmente aceitar o discurso hegemônico, aquele hoje visto como normal.
Aquele que obteve êxito e se apresenta como indiscutível. A idéia que a sociedade individualista e altamente competitiva é salutar e desejável está presente em todos os lugares: nos livros de auto-ajuda, nas novelas, nas revistas semanais. Aí reside o nosso desafio: nadar contra a maré, ou seja, analisar criticamente questões educacionais por outros ângulos, com outros olhares. Para nós, por exemplo, não é normal chamar o aluno de cliente e a escola de empresa.
Sabemos que o tema aqui debatido é polêmico, instiga reflexão e posicionamento. E é isso exatamente que desejamos, mexer no baú das certezas, do comodismo e do conforto da estética do neoliberalismo que se
apresenta como discurso único e incontestável. Discordamos. Discordamos que educação seja uma mercadoria. Discordamos que nem todos devam ter acesso a educação. Discordamos que qualidade na educação sirva para fornecer mão de obra qualificada ao mercado.
Certamente desagradaremos muitos leitores, com nossas idéias, nossas expressões, nossa informalidade, e principalmente pela nossa falta de rigor intelectual e posicionamento explícito. Mas se buscamos (e desejamos) o debate como o próprio titulo sugere, não
temos medo de desagradar. Toda a análise crítica, todo o debate, todo posicionamento, é bem vindo. Lutamos contra a submissão, contra a aceitação e a manipulação.
Portanto, leia. Depois, discuta. E só então, é que cumpriremos o nosso objetivo. Ainda há muito o que debater, fazer, construir e lutar. Desistir é dar a vitória aos que desejam nosso fracasso. Acreditar que não há mais nada a fazer em defesa da escola democrática é coroar aqueles que desejam se manter no controle sem alterar os rumos da história.
Talvez por isso o debate aqui proposto seja uma verdadeira provocação aos educadores: se não é para mudar, para que ensinar?
Os autores